Nove dicas para fazer seu motor durar mais

November 3, 2018

A longevidade do propulsor (e suas peças) depende de providências simples e fáceis de adotar

 

Motores podem viver com saúde mesmo após os seis dígitos no hodômetro - até o de um Gol MI 1.0 (Quatro Rodas/Quatro Rodas)

 

 

Para evitar a aposentadoria antecipada do motor de seu carro, basta seguir uma rotina simples de manutenção e adotar alguns comportamentos que vão lhe poupar muito dinheiro a médio e longo prazo.

 

Na maioria das vezes, carros dão sinais claros de que algo não vai bem – e a saúde deles depende de sua atenção. Não há mágica: motores vivem mais se o dono for cuidadoso. Veja aqui o que você pode fazer por ele

 

Acúmulo de sujidades entre os anéis dos pistões do Chevrolet Zafira 2.0 8V, após 60.000 km, no Longa Duração (Quatro Rodas/Quatro Rodas)

 

Pegue leve nos primeiros quilômetros

Em carros recém-saídos da concessionária, mantenha a rotação baixa nos primeiros 1.000 quilômetros. Antecipe trocas de marcha (não passe de 3.500 rpm), varie a velocidade e faça acelerações progressivas.

 

Essa história de amaciar o motor à força não funciona – apesar de haver uma comunidade de pessoas que acreditem no método Chuck Norris de amaciamento.

 

Dê preferência para a versão QUATRO RODAS: no período entre os 1.000 e 1.500 km, dirija com o máximo de suavidade e mantenha-se fora de rodovias. Só depois encare a estrada, até por segurança.

 

Os freios também precisam de cuidados iniciais para que haja assentamento entre as pastilhas e discos. Para o motor e freios, os primeiros quilômetros são fundamentais para uma vida longa e feliz.

 

Motor Active Hybrid, da BMW (Divulgação/Quatro Rodas)

 

Não aqueça o motor antes de começar a rodar

Ao sair pela manhã ou quando o carro estiver frio, não precisa gastar alguns minutos em marcha lenta. Prefira essa rotina: entre no carro e ligue o motor, coloque o cinto e verifique os ajustes do assento e espelhos. Pronto – esses 30 segundos bastam e seu carro está pronto para começar a rodar. Mas ainda estará frio. Rode com suavidade até que o motor atinja a temperatura ideal de funcionamento.

 

Evite acelerações bruscas

Acelerar no trânsito como se você estivesse numa prova de ¼ de milha toda vez que o semáforo abre não vai lhe ajudar a chegar mais rápido no destino. Mas é o caminho mais breve para antecipar uma parada na oficina. Ser brusco no acelerador é um dos hábitos mais danosos para a saúde do automóvel.

 

No trânsito, o motor tende a trabalhar muito quente e esse tipo de condução aumenta ainda mais a temperatura do conjunto. Sobrecarrega o sistema de arrefecimento, juntas e correias, por exemplo.

 

Detalhe da correia dentada do comando de válvulas do motor (Quatro Rodas/Quatro Rodas)

 

Filtros (de ar e óleo) são baratos. Retífica é cara

Economizar nesses dois filtros é a pior decisão que você pode tomar. Troque o filtro de óleo toda vez que esgotar o fluido – nada de alternar troca sim, troca não. É uma peça barata demais, considerando sua importância no bom funcionamento do propulsor.

 

O mesmo vale para o filtro de ar: substitua sem dó. Nada de “bater um ar”, aspirar, lavar. No jargão financeiro, é o que se chama de “economia porca”.

 

Escolha o óleo como se fosse vinho

Vinho ruim dá dor de cabeça. Óleo de origem duvidosa também. Se o fabricante recomenda óleo sintético (geralmente mais caro), use o sintético. Não misture com óleo mineral. Prefira gerações mais novas do fluido, com poder de detergência de classe SL, no mínimo.

 

Poupe seu dinheiro: óleos modernos, de qualidade, não precisam de aditivos. Siga o manual e antecipe trocas do fluido se você rodar por muito tempo em regimes severos (como trânsito ou áreas poluídas/empoeiradas).

 

Por meio de scanner é possível fazer diagnóstico de falhas (Quatro Rodas/Quatro Rodas)

 

Livre-se do peso excessivo

Ao encarar à pé uma subida de montanha, quanto mais leve você estiver, melhor. Adote o mesmo procedimento para seu automóvel. Tire do porta-malas tudo o que não tem serventia, assim como no porta-luvas e outros bolsos no interior. Seu bagageiro de teto está vazio? Deixe na garagem.

 

Peso adicional exige mais força do motor. Máquinas são o oposto de nossos corpos: quanto mais esforço fazem, menor a vida útil. Ao instalar um engate, certifique-se de que o carro está homologado para carregar uma carreta e, claro, verifique o peso admissível.

 

Use a transmissão com sabedoria

A maneira como você usa o câmbio tem influência direta no rendimento do motor. Rotações elevadas aumentam o consumo e ruído. Fazer as trocas na faixa vermelha – o limite de giro -, o tempo todo, irá abreviar a vida dos componentes. Marchas altas em velocidade baixa também não fazem bem às válvulas.

 

Sempre use a marcha ideal para a velocidade em que está e considere também a inclinação da pista. A rigor, desça engrenado na mesma marcha que usaria para subir a via.

 

Por fim, transmissão não é freio. Você pode contar com o efeito do freio-motor em declives – e deve fazer isso – mas não reduza a velocidade do carro usando as marchas.

 

Cabeçote, do Prisma Maxx 1.4, da Chevrolet, após desmonte do teste de Longa Duração (Quatro Rodas/Quatro Rodas)

 

Leia o manual e faça manutenção preventiva

Aquele livrinho que acompanha o veículo, esquecido no fundo do porta-luvas, é seu aliado. Precisa ser lido. Ele descreve os intervalos de manutenção e itens a serem checados conforme a quilometragem do carro.

 

Peças de desgaste natural precisam ser trocadas: velas e cabos, bateria, correias, rolamentos, fluidos – mantenha tudo isso em dia e seu motor poderá trabalhar tranquilamente mesmo quando o hodômetro tiver seis dígitos altos.

 

 

Velas retiradas do Renault Duster de nosso Longa Duração, após 60.000 km (Silvio Gioia/Quatro Rodas)

 

Leve seu carro para viajar

Trechos curtos são os mais difíceis para veículos. O anda-e-para urbano, trânsito e aquela saidinha de domingo cedo até a padaria da esquina fazem um estrago no motor – como o colesterol é péssimo para o coração.

 

Exercícios fazem bem: vá para a estrada com o possante. Ande em velocidade constante, varie acelerações e rode com o giro elevado (dentro dos limites do propulsor). Isso ajuda a livrar a câmara interna e o sistema de exaustão de fuligem e outros contaminantes que se acumulam no uso rotineiro de ciclo severo.

Share on Facebook
Please reload

Posts Recentes
Please reload

15 3244.8600

VIA ANTONIO LEITE DE OLIVEIRA, 265, PAULAS E MENDES - PIEDADE/SP

NOSSOS VENDEDORES:

ANTONIO 15 9 9803.4626

EMERSON 15 9 9707.7330

CÁTIA 15 9 9739.7565

NETO 15 9 9796.0816

MARCIO 15 9 9726.1999

WALDIR 15 9 9825.9199

ATENDIMENTO ONLINE

VIA WHATSAPP

  • Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

Jet Motors© 1993 - 2019 por Cerbero Comunicação & Design